Quem somos?

Conheça a Revista Velharias

A Revista Velharias nasce com a proposta de falar sobre envelhecimento nas mais variadas nuances, como espaço de criação, experimentação e divulgação de tudo que diga respeito ao velho – sem eufemismos, com muito respeito, admiração e carinho.
Nossa proposta é simples, mas a tarefa é árdua. Queremos promover a inclusão digital e social do velho e reestabelecer o respeito e dignidade com o qual merece ser visto e tratado.Privilegia, assim, o leitor comum, aquele interessado em fazer parte de um amplo diálogo na instância cultural e pessoal. São várias seções – produção textual, dicas de viagens e lazer, conversas com os mais variados especialistas, resgate de memórias e histórias de vida, crônicas, fotografias, grafites, esporte e saúde, e também implicações políticas e serviços. Nossa Revista está a trabalho do envelhecimento, com diferentes traços e sotaques, numa clara valorização da nossa pluralidade.

MISSÃO: Promover a inclusão digital e social do velho em uma sociedade pensada por jovens e para jovens, os quais serão os velhos de amanhã.

VALORES: Respeito, integridade, imparcialidade, independência e credibilidade.

VISÃO: Que o aprendizado de hoje, garanta aos velhos de amanhã o lugar de destaque e respeito que merecem.

DIFERENTE POR QUÊ?

Envelhecer é um processo natural, onde ocorrem mudanças fisiológicas observadas ao longo do tempo. Deve-se  levar em consideração que na espécie humana, o envelhecimento é mais complexo, manifestando-se em todas as múltiplas dimensões: fisiológicas, emocionais, cognitivas, sociológicas, econômicas e interpessoais que influenciam o funcionamento e o bem estar social.

De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS, 2008), qualquer pessoa a partir de 60 anos de idade, é considerada idosa. Lembrando que essa avaliação é feita fisiologicamente, não impedindo que a pessoa tenha uma vida social e condições adequadas para uma vida saudável e ativa.

No Brasil, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2010) existem aproximadamente 20 milhões de pessoas com idade igual ou superior a 65 anos, o que representa 7,4% da população. Diante da grande população de idosos brasileiros, alerta-se:

Enxergar a velhice apenas como um fator biológico é desconhecer os inúmeros fatores que participam do processo de envelhecimento.

Cuidar do outro pressupõe atenção à sua individualidade e suas necessidades. Essa dimensão  está fundada na “arqueologia” do ser-com-o-outro. O cuidado torna- se presente através da relação que o encontro inter-humano proporciona entre os seus intervenientes, entre o cuidador e a pessoa cuidada, assim o cuidador deve ter como princípio de que é o orientador essencial para a promoção do cuidado do idoso (FRAGOSO, 2010). 

O relacionamento do idoso com o mundo se caracteriza pelas suas dificuldades adaptativas, tanto emocionais quanto psicológicas. Diante disso, o cuidado humanizado vai muito mais além de cuidados obrigatórios referentes à saúde. Remete especialmente à humanização, ao cuidado dedicado a outro, tendo em vista suas necessidades básicas, suas dificuldades e anseios. 

O que qualquer ser humano anseia é amizade, conforto, tranquilidade, carinho e atenção com o intuito de melhorar seu estado de espírito, sair da solidão e perceber o mundo em sua volta. 

Por que seria dirente com o Velho?

IMG_1698

NOSSA EQUIPE:

1

Somos profissionais das áreas de comunicação e saúde e contamos com colaboradores especialistas nas respectivas áreas de atuação.

Elisa Yule – Publisher & Founder
Dra. Andrea Chatah – CKO & Neuropsicóloga
Fabiana Oliveira – CFO & Marketing
Caroline Mori – CTO & Diretora de Criação.

Colaboradores Fixos: Isabel Correa, Walkíria Gayotto, Oseas Cardoso, William Silva.

CONTATOS:

Atendimento: contato@revistavelharias.com.br
Envio de sugestão de pauta: elisayule@revistavelharias.com.br
Marketing: fabianaoliveira@revistavelharias.com.br

FOTOS:

Freepik/Fotolia/Internet em geral